domingo, 15 de junho de 2008

Decisão do CNJ prejudica interior da Bahia



Domingo, 15 de Junho de 2008  
Decisão do CNJ prejudica interior da Bahia

   "Não é possível que os 50 juízes a serem nomeados fiquem esperando por causa das desavenças entre os magistrados e o interior sofra com isto". Esta foi a afirmação do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil-seção Bahia (OAB), Saul Quadros, em virtude da anulação da promoção por antiguidade (25) e merecimento (25) de juízes baianos que ainda se arrasta no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), órgão fiscalizador e moderador das decisões do Judiciário no País, desde setembro do ano passado e o último parecer desta semana ainda favorece esta decisão.
  A decisão foi tomada pelo CNJ devido a uma ação movida por dois juízes baianos que se sentiram preteridos na nomeação ao classificar os outros candidatos com pontuações inferiores às suas. Com anulação da promoção, automaticamente os juízes nomeados para ocupar as vagas dos promovidos foram impedidos.
  O TJB contestou os queixosos, alegando que dentre os critérios adotados, além da pontuação estão o bom comportamento e número de sentenças proferidas. Inclusive dentre os nomeados por antiguidade se encontra a juíza Olga Regina Guimarães, acusada de envolvimento com o traficante colombiano Gustavo Duran.
  O presidente da OAB disse que a situação no interior do Estado está muito difícil e a população sofre as conseqüências da falta de juiz. " A nossa expectativa é que se resolva logo este problema, a demora atrapalha as prerrogativas dos advogados e de várias comarcas que estão sem juiz", destacou.
  Quadros deixou bem claro que não cabe à OAB interferir, mas aguarda que se resolva para tranqüilidade de todos. "O TJB já fez uma segunda lista, mas também foi anulada pelo CNJ. O problema não pode estar se arrastando, quem sofre com isto é a população. Não suportamos mais esta demora, não se pode continuar tanto tempo por causa do interesse de dois juízes", lamentou.
  Ele argumentou que entende o direito dos reclamantes, mas o que não pode é o problema de duas pessoas ir de encontro a uma coletividade, pois a situação no interior "está uma verdadeira convulsão em comarcas como Irecê, Conquista, Itabuna, Bonfim, Juazeiro, Teixeira de Freitas e outras", assinalou.
  Para o advogado a solução estaria em permanecer a nomeação dos 25 juízes por antiguidade (direito assegurado), que de uma certa forma amenizaria a falta de juízes nas localidades que estão sendo supridas por juízes substitutos que dão conta de várias comarcas ao mesmo tempo. (Por Noemi Flores)
http://www.tribunadabahia.com.br/politica.htm


Abra sua conta no Yahoo! Mail, o único sem limite de espaço para armazenamento!

Nenhum comentário: