Amor Ilimitado - A dor de Amar Demais

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

"Há uma indústria da miséria"

Relato atroz, albergados tratados de maneira desumana em S.P .

Quem são estes que agem em nome de Deus?
Quem são estes que agem no Poder?
 
A verdade vem a luz, mesmo com ameaças, intimidações, desamparo, a Verdade sempre virá a luz.
 
Ana Maria C. Bruni
 
www.territoriomulher.com.br
 
///
Leiam matéria nos endereços abaixo
 

" SENTIAM PRAZER EM NOS HUMILHAR"

Uma reportagem impactante que mostra claramente para que servem os moradores de rua de São Paulo: massa de manobra para o esquerdismo que contaminou a Igreja Católica.

por Rubens Marujo

Morei ali no albergue São Francisco, que ficava na esquina da rua Santo Amaro, com o viaduto Jacareí, bem em frente à Câmara Municipal de São Paulo. Ele foi desativado há 15 dias, da noite para o dia, por força de um abaixo-assinado dos moradores, pois o local se transformou em um ponto de albergados e marginais de todo o tipo, e retornou para a baixada do Glicério que estava sendo fechado. Antes o São Francisco chama-se Cireneu e era administrado por uma Ong de quinta categoria, com verba liberada pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social.

Pois bem. Em abril, os padres franciscanos assumiram o comando do albergue e o que era ruim ficou pior. Acho muito estranho que o padre Júlio Lancelotti e outros religiosos liderem uma passeata com moradores de rua, usando albergados como massa de manobra para conseguir, talvez, mais recursos da Prefeitura.

Leiam mais em:

 
 
"Eu sentava num banco, abaixava a cabeça e chorava"
Rubens Marujo
http://www.dcomercio.com.br/noticias_online/1099990.htm

Um comentário:

clafurlan disse...

www.bocaderango.bloqspot.com